Arquivo da tag: coaching carreiras

Por que ninguém me valoriza?

Apresento um case real, mas asseguro que não é único, existem muitas pessoas passando pelo mesmo problema de desvalorização no trabalho. Vale a reflexão.
valoriza instagram

Por que ninguém me valoriza? Por que na minha empresa, ninguém percebe que eu sou o melhor para esse cargo? Por que contratam profissionais de outros mercados sendo que tem muita gente competente na empresa? E assim, eu comecei , mais uma sessão  de Neurocoaching  com Felipe, nome fictício.

Felipe tem 35 anos, muito inteligente , faz cursos no Brasil e no exterior fala inglês, fluentemente, tem MBA , vive atualizado com o que há de mais inovador. Essas perguntas que ele me fez precisam de reflexões, abrindo duas hipóteses , como por exemplo:

  1. Análise real do cenário atual, que pode ser desfavorável.
  2. Felipe ser o problema e por isso, não consegue avançar na carreira

Para que você entenda o contexto em que vivemos, apresentarei o cenário atual.

Fazemos parte de um povo que foi colonizado pelos meus conterrâneos e que aqui vieram para explorar. Mandaram para cá a escória portuguesa formada por vigaristas e bandidos e que foram exilados numa prisão chamada Brasil, muito diferente da colonização americana, onde ingleses foram para morar e constituir uma nação.

Isso, explica, em parte, porque alguns países evoluem, crescem, tem orgulho da própria nação e outros vivem, ano após ano, se debatendo contra corrupção, a violência e a exploração.

Talvez, graças à nossos colonizadores extrativistas, o DNA da nossa população contenha o tal  “jeitinho brasileiro”, inclusive, recentemente estudado pelo filósofo e pesquisador Michael Sanders.

Entre outras características desse DNA, existe a mania de achar que tudo que vem de fora do país é melhor; aliás , a corte portuguesa já trazia tudo da Inglaterra para servir os portugueses que reinavam o nosso país. Faz parte do inconsciente coletivo que se perpetua, geração após geração.

E o que isso tem a ver com o momento atual? TUDO.

Analise a reclamação de Felipe. Assim como ele, existem vários outros e outras Marias, Joanas que estão inseridas no contexto de uma empresa que não as valoriza e que no exato momento de dar uma promoção, contrata profissionais de outro mercado ou traz consultores para resolver problemas que a própria equipe teria condições de fazê-lo, se o líder fosse preparado e tivesse as ferramentas para despertar em sua equipe, a vontade de participar e propor soluções.

O que ocorre, em algumas empresas, é que as  relações trabalhistas são de exploração, dado o DNA histórico e  apesar de todas as leis. Isso, não só da parte da empresa, mas, também , de muitos funcionários que se apropriam da posição de vítimas diante de um juiz que sempre acha que o vilão é o empresário.

Precisamos interromper, em nossa mente, esse comportamento nocivo a nosso desenvolvimento. Sei que é difícil limpar esse paradigma de nossas mentes e que faz com que cada brasileiro desvalorize o que é seu , o seu país, o seu mercado, reforçando, desta maneira, o velho ditado popular: “a grama do vizinho é mais verde”.

Mas não é impossível, desde que cada um de nós tenha consciência desses atos perniciosos. Darei alguns exemplos de onde e como isso ocorre com mais frequência:

– Palestras : contratam a “peso de ouro” profissionais provenientes de outros mercados ou países e remuneram mal ou não pagam nada quem está inserido no mercado há anos. Situação, extremamente, constrangedora para os colegas que estão trabalhando, sem nada receber e em troca , como no tempo dos escravos, de prato de comida, alegando que os 30 minutos de glamour no palco é mais do que suficiente para pagar pela atuação, como se visibilidade pagasse as contas.

– Consultorias: entram nas empresas com um time de estagiários que mal representa o capital intelectual que a própria empresa detém-  anos de experiência, equipes competentes- e que ficam  reféns de consultores novatos que chegam com status de rei, pensando em “colonizar” a empresa, porém, ao final de um ano, em muitos casos, destroem a empresa e o moral da equipe que se sente desvalorizada por conta dessa atitude de um líder que em vez de olhar seu capital intelectual, prefere trazer gente de fora que ele mal sabe quem são.

As pessoas tem dificuldade em assumir que tem ao seu lado, em sua casa, empresa, cidade, país, pessoas competentes.

Como reverter essa situação?

1.Tendo consciência desse fato.

2.Antes de contratar qualquer profissional ou empresa, verifique o currículo, certificados, como vem atuando, quais resultados, comprovadamente, entrega. Não é porque é brasileiro que é uma porcaria e o outro por ser americano, é uma sumidade. Não é porque vem de uma empresa “blaster” que é melhor do que o profissional que está na sua empresa.

Primeiro passo, portanto, analisar os fatos, as conquistas e realizações de cada profissional, isento de julgamento rançoso de um DNA nefasto, histórico de povo colonizado que alguns costumam chamar de “síndrome do vira-latas”.

A segunda hipótese é o Felipe não saber se valorizar, já que como disse acima, ele tem um currículo espetacular mas que pode estar adotando comportamentos que o prejudicam no dia a dia da empresa, como , por exemplo, ser pouco sociável.

Por outro lado, conheço profissionais que são, desculpe o termo,  verdadeiras “antas”, ignorantes do que fazem e sem competência alguma, mas, tem um marketing e carisma que acaba convencendo todo mundo, afinal de contas, em reinado de povo colonizado, quem grita mais e fala mais bonito e gesticula de forma pensada, acaba ganhando voto; em contrapartida, os ponderados e tímidos, acabam perdendo espaço e oportunidades. Isso os políticos sabem muito bem.

O que ocorre quando o profissional não se valoriza ou não divulga suas conquistas? E quando incompetentes, mas que são articulados , falam mais sobre “nada” mas numa embalagem enganosa e manipuladora convence os “colonizados”?

Um profissional competente e estudioso como o Felipe, precisa de uma estratégia, que é o que estamos desenvolvendo nas sessões de Neurocoaching, para melhorar o planejamento de carreira, gestão de tempo, etc., mas, muito mais profundo do que isso, é elevar a  autoestima que está destruída por episódios onde foi desvalorizado em detrimento de outros, menos competentes do que ele.

Esses sentimentos de desvalorização e inadequação são reforçados, se ocorrem, também, na família, nos relacionamentos, nas amizades.

Em uma sociedade em que ser mediano é mais valorizado do que ser competente , pode ser, também, que Felipe por ser um profissional acima da média sofra discriminação que denomino de invejosa, pois, ao se destacar positivamente do meio que o cerca, chamando a atenção pela inteligência, pela forma de pensar e refletir sobre diversos assuntos, provoca ciúmes nas  “ovelhas do rebanho” empresarial que preferem que todos façam o mínimo possível, assim ninguém é melhor do que ninguém.

Os “Felipes” que são fora do que o “rebanho” espera, podem ser colocados de lado, justamente por serem melhores . Isso ocorrerá se não tiverem consciência desse fato  e deixarem o “rebanho” agir na surdina, o que é muito comum, já que pessoas do bem se preocupam em trabalhar e entregar resultados e pessoas do mal, em como destruir quem é melhor do que elas.

Apenas 2% da população se destaca e , provavelmente, se você que é parecido com o “Felipe” não souber se defender, pagará o preço do isolamento. Não fique assustado achando que se você for bem-sucedido irá perder todos seus amigos; na realidade, amigos mesmo de verdade, você não perderá, nem oportunidades. Com o tempo quem ficará no isolamento é o profissional arrogante e que proclama uma expertise que não tem e será, facilmente, desmascarado, pelo menos pelas pessoas mais inteligentes e que percebem logo o golpe do vigarista.

O que tenho a dizer aos “Felipes”?

Continuem na estrada, façam o que vocês acreditam que é importante, corram atrás dos seus sonhos e não desistam.

Pelo menos o Felipe que venho atendendo, está praticando através as sessões de Neurocoaching:

  1. Ensaio mental
  2. Reprogramação do mindset
  3. Reconstrução da autoestima valorizando o trabalho e as conquistas
  4. Agradecimento às pessoas que o ajudaram
  5. Ampliando a consciência para os pontos a serem mudados

“Felipe” você já deu o primeiro passo. Parabéns.

Desejo a liberdade e o sucesso merecido a todos que passam pelo mesmo problema que o Felipe.

Coaching – TESTES DE PERFIL

VoltarRealizo teste de perfil de Talentos, Comportamental e de liderança. Além dos perfis de COMUNICAÇÃO e de atuação profissional. Descobrir padrões de comportamento e pontos fortes é o primeiro passo para oferecer resultados para a sua empresa, carreira e novos negócios

coaching-04

mary-coach

Quero Fazer Coaching




Coaching – QUAIS AS ÁREAS DE ATUAÇÃO?

VoltarOs serviços de Coaching buscam solucionar por exemplo: problemas de relacionamento, inadequação da liderança, dificuldade em atingir metas, falta de comunicação, mudança de trabalho, promoção, abertura de nova empresa, superar desafios na carreira, entre outros objetivos, extremamente, importantes e que visam melhorar as competências profissionais necessárias ao mundo corporativo e que afetam os resultados .

 

O Foco é no RESULTADO através da ação e melhoria contínua e com processos éticos.

Agende sua sessão NEUROCOACHING on Biteable.

A prestação de serviços de Coaching não equivale às atividades de aconselhamento, terapia, psicoterapia, psicanálise, diagnóstico, tratamento de doenças físicas ou mentais, entre outras atividades de natureza médica, jurídica ou espiritual

Áreas de atuação:

EXECUTIVE COACHING – atua em empresas, diretamente com os executivos em áreas de Liderança, colaboradores, equipes  para que obtenham sucesso e alta performance de resultados através do desenvolvimento de competências e mudanças comportamentais no contexto da empresa, através de neurociência, física quântica e teorias comportamentais.

BUSINESS COACHING – atua na empresa visando aumentar o desempenho do negócio por meio de treinamentos de equipes proporcionando impactos positivos nos resultados das empresas. Pode ser parecida com uma consultoria estratégica, mas o diferencial é que no Business passamos estratégias e ferramentas cientificamente comprovadas e ensinamos o líder e a equipe a usar a mente criativa para propor soluções sem gerar dependência. Ensinamos a pensar estratégicamente, despertar o foco em solução .

WELLNESS & PSICOLOGIA POSITIVA– o entendimento que a busca do ser humano é a felicidade , não no sentido filosófico, mas do bem estar do cérebro e por isso a orientação é para um estilo de vida saudável envolvendo saúde, atividade física, nutrição, equilíbrio mental por meio do conhecimento da neurociência e da psicologia positiva.

CARREER COACHING  – para profissionais que querem acelerar seu desenvolvimento e o sucesso na carreira, descobrindo seus talentos e os potencializando,  de forma que você economize tempo, dinheiro e energia percorrendo uma jornada profissional assertiva e produtiva destacando-se no meio da multidão.

MENTORING– Mentoria é um processo específico em áreas que o profissional quer se desenvolver, por exemplo Liderança, MKT Digital, Imagem, Treinamentos e neste caso, existe a transferência de expertise do mentoraapra o cliente

 

mary-coach

Quero Fazer Coaching




Coaching – COMO FUNCIONA?

VoltarO processo ocorre em sessões, sendo o mínimo indicado de 10 sessões , uma sessão por semana , com 1 hora de duração , previamente agendadas, individual ou em até 3 pessoas da mesma empresa com os mesmos objetivos. Pode ser realizado na sua empresa, no escritório da Provider Solutions, por Skype ou sistemas mistos intercalando as 3 formas de atendimento

coaching-05

mary-coach

Quero Fazer Coaching




Coaching

Coaching é um processo que visa aumentar a performance seja de uma pessoa, equipes, líderes ou empresas, aumentando os resultados positivos através de metodologias que uso como neurociência, física quântica, bioenergética e relação corpo-mente, psicologia positiva, teorias comportamentais e ferramentas e técnicas que conduzo para que você alcance o sucesso que merece.